29 de Janeiro de 2023

Notícias

Reuniões incentivam cadastramento no “Mais Pecuária Brasil”; Prefeitura vai disponibilizar vacinação contra febre aftosa e brucelose

A Prefeitura de São Julião, na gestão do prefeito Dr. Samuel Alencar, através da Secretaria de Desenvolvimento Rural, promoveu nos dias 15 e 25 de novembro e 02 e 06 de dezembro, reuniões com criadores de bovinos do município para tratar sobre o Programa Mais Pecuária Brasil e a inseminação artificial.

O Mais Pecuária Brasil é um programa lançado pela Confederação Nacional dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (CONAFER), de incentivo ao melhoramento genético da pecuária bovina e tem como intuito aumentar, de forma sustentável, a produtividade e a competitividade da atividade bovina de leite e de corte, por meio de ações coordenadas, em benefício da sociedade, atendendo criadores e agricultores familiares.

As reuniões em São Julião aconteceram em localidades da zona rural e na sede do município, a fim de atender a todos os criadores interessados no programa.

Nesta última terça-feira (06/12) o encontro aconteceu no Auditório da Educação, com o objetivo de proporcionar esclarecimentos e realizar o cadastramento de produtores que vão aderir ao programa, bem como para tratar sobre a vacinação contra a aftosa e brucelose, que será doada para os criadores pela Gestão Municipal.

Iniciando a reunião, o prefeito Dr. Samuel relembrou que promover projetos e ações em benefício dos agricultores e criadores do município eram objetivos do seu Plano de Governo, por isso ele olha atentamente para essa classe tão importante, que tira o sustento para suas famílias e movimentam a economia local.

“Tempos atrás, antes mesmo de estar ocupando o cargo de prefeito, a minha vontade era que a gente implantasse aqui no nosso município, o início da bovinocultura. Montar uma espécie de associação e fazer uma rotatividade combinada com os criadores, com reprodutores da raça sindi, porém, sem o acompanhamento técnico, com tudo esclarecido e definido. Mas o programa Mais Pecuária Brasil nos procurou, através da secretária Ana Célia, e prontamente aceitamos porque trará um benefício importante para São Julião. Então a ideia é melhorar a produção de leite e de carne, padronizando o rebanho. Na questão sanitária, a Prefeitura se dispõe a ajudar os criadores, vacinar, deixar o calendário de vacinação dos animais em dias e registrados nos órgãos competentes”, destacou o gestor.

O vice-prefeito, Dr. Leonardo Rocha, enfatiza que o programa é direcionado para todos os criadores de São Julião e pede para que eles participem.

“Não é um programa apenas político, não é apenas voltado para quem votou em Samuel ou nos candidatos dele. É um programa direcionado para todos os criadores de São Julião, onde foi bem conversado e divulgado. Não deixem de participar, tirem suas dúvidas com o veterinário que está duas vezes por semana na Prefeitura e também os profissionais que vinheram de fora para esclarecer qualquer dúvida, portanto, aproveitem porque depois vocês vão colher os frutos”, disse.

A secretária de Desenvolvimento Rural, Ana Célia, conta como foi o contato para a implementação do programa e fala sobre a vacinação que será disponibilizada pela Prefeitura de forma gratuita para os produtores.

“Quero agradecer a presença do pessoal da ADAPI, e especialmente a vocês, os nossos criadores que são a base do programa e são quem vai fazer com que funcione. O programa Mais Pecuária Brasil, da CONAFER, onde Dr. Samuel já tinha entrado em contato com eles e depois entraram em contato comigo para saber se a gente realmente queria fazer o contrato. Quando eu conversei com o prefeito, ele deu total apoio, toda a parte burocrática e de gastos vão ser por conta da CONAFER e da Prefeitura. Essas reuniões são exigências do programa, para explicar como funciona. Outra obrigação é a vacina, o gado tem que está vacinado com a vacina da aftosa e brucelose. A Prefeitura vai disponibilizar essa vacina, vai sair totalmente gratuita para vocês”, explicou.

A reunião contou com a presença de profissionais da Agência de Defesa Agropecuária – ADAPI, que vieram sanar dúvidas a respeito da vacinação e certificação da vacina contra febre aftosa e brucelose.

PUBLICIDADE

 

Dr. Joyce Melo, agrônomo da ADAPI de Pio IX, cita a falta de incentivo por parte do Governo do Estado em relação a ADAPI e também sobre a certificação da vacinação.

“Gostaria de fazer uma explanação que devido à inoperância do governo do estado do Piauí, a um bom tempo a ADAPI vem se ausentando do município de São Julião. Passamos por dois diretores meio problemáticos e a uns dois anos a gente vêm com doutora Alexandra, que é do quadro de funcionários da ADAPI, advogada e médica veterinária e tem o sentimento de pertencimento pela instituição. De acordo com o que o estado oferece, ela vem tentando reestruturar ADAPI. Quero dizer a vocês que a gente pode tentar fazer essa certificação, no início, pelo WhatsApp, e dizer também que não é uma opção. Nós sabemos cada produtor que está ilegal, a ADAPI é informatizada. A lei não quer saber se não tinha escritório, a obrigação é comprar a vacina, executar a vacinação e apresentar a certificação. Confiando no empenho da equipe aqui de São Julião, apesar do estado não incentivar muito a Prefeitura a fazer por onde, eles têm batido o martelo e correndo atrás para tentar resolver essa situação”, frisou.

O veterinário da ADAPI de Jaicós, Abdias, que já é conhecido pelo trabalho prestado e incentivo aos criadores de São Julião, falou sobre a vacinação e disponibilizou o veículo da instituição à disposição do município.

“Eu me coloco a disposição para ceder o veículo da ADAPI de Jaicós para dar apoio a todos vocês. Recentemente estive em Simões com esse programa Mais Pecuária Brasil e foi um sucesso. Então, aproveitem ao máximo esse programa, ele é importante para dar maior sanidade ao rebanho de vocês. Tem um projeto do Ministério da Agricultura de 2017 até 2026, da retirada gradual da vacinação contra febre aftosa”, disse.

“O Ministério estabeleceu um requisito básico que a gente precisa alcançar um percentual de 80% de propriedades geolocalizadas para retirada da vacina, e aqui no Piauí nós só temos 35% dessas propriedades geolocalizadas. Infelizmente a ADAPI não tem estrutura de fazer o mapeamento, porque nós temos mais de 100 mil propriedades cadastradas, então estamos pedindo para que os criadores quando forem fazer a certificação, trazerem o Cadastro Ambiental Rural. Aqui é o único município que eu vejo em tempo real disponibilizando a vacina contra febre aftosa e brucelose, onde o custo é altíssimo. Aproveitem essa oportunidade ímpar e única”, acrescentou.

Dr. Pedro Ricardo, veterinário da Prefeitura de São Julião, sanou dúvidas sobre o processo de vacinação e falou sobre os principais pilares da bovinocultura.

“Nós estamos na fase de preparação, aderimos ao programa em que no qual para sermos inseridos, tem uns requisitos, e o principal requisito é a questão da vacinação. No nosso município estávamos com dificuldades pela questão de escritório, entre outras. Mas estamos fazendo essa reunião com intuito de facilitar a todos. Quero dizer a vocês que aproveitem essa iniciativa, porque dá para contemplar todo mundo. São seis mil animais por ano, acredito que o nosso rebanho não chega a isso. A raça escolhida foi a sindi, de dupla aptidão. Na bovinocultura, seja de corte ou de leite, tem os três pilares que são o manejo reprodutivo, sanitário e alimentar. O manejo reprodutivo, assim como o sanitário, iremos fazer através do melhoramento genético. O alimentar, estamos aqui para tirar todas as dúvidas, porque cada caso é um caso e temos que ver a realidade de cada um”, falou.

Zezinho Luz, criador da fazenda Tamboril, fala sobre a importância da reunião e do apoio que o prefeito tem oferecido para os criadores.

PUBLICIDADE

 

“A reunião foi muito proveitosa, principalmente quando está pensando no melhoramento da qualidade dos animais. Hoje vivemos em um mundo onde necessita dessa melhora, ou você tem qualidade no produto ou vai ter dificuldade para vender, e uma das qualidades é a genética dos animais. A vacinação é obrigatória e de grande valia, principalmente a vacina contra brucelose, pois, ela é uma doença muito perigosa e também tira a fertilidade dos animais”, disse o criador.

Além das presenças citadas, estavam na reunião o ex-prefeito, DeAssis; secretário de Finanças, Júnior; secretário de Governo, professor Neto, que conduziu os trabalhos como cerimonialista.

Em São Julião, o prefeito Dr. Samuel disponibiliza assistência técnica e consultorias para os criadores sobre rebanhos, com o médico veterinário Pedro Ricardo todas as terças e quintas na Prefeitura Municipal.

Veja mais fotos!